Óleo aparece em mais praias no RJ e ministro fala em “fazer de tudo” para minimizar desastre

É considerado, pelo menos por hora, muito baixo o risco de praias do Rio de Janeiro serem atingidas pelo vazamento de óleo – que aconteceu meses atrás e sujou praias do Nordeste e do Espírito Santo.

Segundo especialistas, os ventos não sopram na região da capital fluminense ou da região metropolitana nessa época do ano.  As marés também não são favoráveis ao deslocamento do óleo e de seus fragmentos para praias desses duas regiões.

O alerta, no entanto, foi ligado nos últimos dias – quando pedaços de óleo foram encontrados em quatro praias do Norte do Estado do Rio de Janeiro. Já se detectou, inclusive, que o óleo que chegou por São João da Barra é compatível com o que invadiu o Nordeste brasileiro.

Outros fragmentos foram encontrados também em Quissamã, São Francisco de Itabapoana e Macaé.

Nesta segunda-feira (25), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, demonstrou preocupação com o avanço desse óleo pela costa, mas disse que a Marinha e o Governo estão fazendo todos os esforços para que o problema não se agrave ainda mais.

As investigações da Polícia Federal para descobrir se o vazamento foi provocado por um navio de bandeira grega que passou pela costa brasileira meses atrás – como se especula – e se foi acidental ou criminoso, continuam e não têm prazo para serem concluídas.