• Ouça Ao Vivo:

Jonas Donizetti: Fizemos tudo para acertar

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), fez uma autoavaliação sobre o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus na cidade na tarde desta quarta-feira (10).

O prefeito admitiu que pode ter havido uma falha de estratégia com o fechamento de todos os serviços não essenciais no início da pandemia (em vez do fechamento gradual) e com a reabertura no momento atual, em que há aumento no número de casos e óbitos.  


"Eu e qualquer prefeito, governador, somos homens, mulheres, sujeitos a falhas como qualquer pessoa. Falha faz parte, mas fizemos tudo para acertar", disse.

Jonas afirmou ainda que todas as ações tomadas por sua administração "tiveram um grau de acerto muito grande". "As pessoas estão adoecendo, queremos poder tratar e manter baixo o índice de letalidade, e isso estamos conseguindo", disse.

O prefeito também fez uma crítica à imprensa, que para ele precisa "repensar" sua postura frente a pandemia. "Sou do ramo de comunicação, a imprensa livre é uma das maiores conquistas da democracia. Mas acho que a imprensa precisa repensar o jeito das coisas. Poderia ter uma posição assim, de um companheirismo mesmo, que vem tendo, inclusive. Mas tem algumas manchetes que dói, algumas manchetes que não são verdadeiras. Não sei o porquê disso", afirmou.

POSTURA CORRETA

Já o secretário de Saúde, Carmino de Souza, disse que o isolamento forçado logo depois que a cidade confirmou o primeiro caso de coronavírus, em 13 de março, foi essencial para evitar um quadro pior.

"Não queimamos a largada. Se a gente tivesse o quadro de hoje há um mês, não teríamos a menor condição de oferecer a assistência que estamos oferecendo para a população de Campinas", disse.

Segundo ele, a quarentena mais rígida deu tempo para que a Saúde se organizasse para atender o aumento da demanda - que está chegando justamente agora. "Nos preparamos economicamente, administrativamente,
estruturalmente, funcionalmente. Fizemos parcerias, compramos EPIs, insumos", disse.

"Sempre pode especular, tem muita gente que acha isso (que não deveria fechar tudo no começo), mas eu discordo, acho que foi fundamental para que nos preparássemos", analisou.