• Ouça Ao Vivo:

Arquidiocese de Campinas marca para o dia 20 de junho o retorno das missas na região

A Arquidiocese de Campinas prevê para o dia 20 de junho a retomada de missas em Campinas, Elias Fausto, Hortolândia, Indaiatuba, Monte Mor, Paulínia, Sumaré, Valinhos e Vinhedo. As paróquias estão abertas desde segunda-feira (8) para receber fiéis que desejam fazer orações.

A volta das celebrações foi adiada, mesmo com os decretos que já permitem a reabertura de templos religiosos em algumas cidades, para que as lideranças das paróquias recebam treinamentos sobre as normas sanitárias necessárias para evitar contaminações pelo novo coronavírus.

Para a retomada das celebrações, um protocolo que visa assegurar a segurança de padres e fiéis foi desenvolvido pelo Comitê Emergencial da Crise da Covid-19, que tem participação do Hospital PUC-Campinas, da própria universidade e de colaboradores externos.

As medidas alteram procedimentos religiosos tradicionais, restringem a interação entre padres e fiéis e asseguram autonomia para que as paróquias definam as normas em suas unidades.

As principais regras são:

  • O uso de máscaras é obrigatório pelos participantes das celebrações;
  • Na entrada das igrejas, os fiéis deverão higienizar as mãos com álcool em gel 70% e as solas dos sapatos com água sanitária;
  • Durante a comunhão, os participantes permanecem nos lugares e o ministro leva a hóstia até eles;
  • Quem for comungar deverá ficar em pé, retirar a máscara pelo elástico e receber a comunhão com a mão em forma de pinça; em seguida, colocar a máscara e volta a se sentar;
  • O Pai Nosso será rezado sem dar as mãos e sem o abraço da paz;
  • Se o sacerdote for do grupo de risco, ele deve ser substituído;
  • As missas ocorrerão em um período diário de quatro horas;
  • O acesso dos fiéis será limitado, conforme regras definidas por cada município;
  • Cada paróquia decidirá os critérios para o controle do número de pessoas nas missas;
  • Os participantes das celebrações deverão manter distância mínima de dois metros uns dos outros.

As peregrinações, romarias, procissões, adoração do santíssimo em grupos, festas, concentrações religiosas, acampamentos e atividades em grandes grupos continuam suspensas.